quarta-feira, maio 30, 2007

Ferreira de Castro e Roberto Nobre - A Epopeia do Trabalho

“Os Escritores”

São os escritores os argonautas de todos os mares convulsos da alma e os aeronautas de todos os céus tranquilos da Beleza.Eles são como espelhos onde a tragédia procura alinhar a sua cabeleira desgrenhada e as suas penas são como termómetros que marcam todos os graus da dor humana. E adentro da Vida os escritores são maiores do que o mito de deus, poque eles não só desvendam a alma do Homem, como criam à margem da vida um homem mais perfeito do que aquele que a lenda afirma ter deus criado.”

In “A Epopeia do Trabalho”, “Os Escritores”

3 comentários:

RAA disse...

Excelente regresso. Um abraço.

RAA disse...

Feliz Natal :)}

Lenora disse...

This is great info to know.